Archive for the Cantores e Cantoras Category

Adriana Calcanhoto

Posted in Cantores e Cantoras on junho 8, 2009 by regginnawzarling

 

Carreira

É filha de um baterista de uma banda de jazz, Carlos Calcanhoto, e de uma bailarina. Aos seis anos ganha do avô o primeiro instrumento: um violão. Aprendeu a tocar o instrumento e também, mais tarde, a cantar. Logo emergiu nas influências musicais (MPB) e literárias (Modernismo Brasileiro). Ficou fascinada pela Antropofagia de Oswald de AndradeTarsila do Amaral e outros nomes daquele movimento cultural.

A vida artística iniciou-se em bares de Porto Alegre(PORTO ALEGRE É DEMAIS!), como o Fazendo Artes, situado próximo à I Cia. de Guardas do Exército, próximo ao Parque Farroupilha, e o Porto de Elis, na av. Protásio Alves. Também trabalhou em peças teatrais e depois se lançou em concertos e festivais por todo o país no estilo voz e violão.Adriana da Cunha Calcanhotto, mais conhecida por Adriana Calcanhotto ou Adriana Partimpim, (Porto Alegre3 de outubro de1965) é uma cantora e compositora brasileira.

Recentemente ampliou a atuação num álbum para crianças, o Adriana Partimpim (2004), com o qual obteve grande sucesso em espetáculos e pelo qual foi nomeada para concorrer ao prêmio Grammy latino de melhor álbum infantil na casa de espetáculos nova-iorquina Madison Square Garden (2 de novembro de 2006).

As composições abordam estilos variados: sambabossa novafunkrockpopbaladas. Dentre as características de repertório, observa-se a regravação de antigos sucessos da MPB e arranjos diferenciado.

Em 2004, Adriana lançou o álbum Adriana Partimpim, uma seleção de canções para crianças. Em 2007, participou da cerimônia de abertura dos Jogos Panamericanos no Rio de Janeiro.Adriana Calcanhotto lançou o CD Adriana Partimpim, em que a cantora usou um pseudônimo, utilizado também para o título do disco, feito para crianças, ou como Adriana prefere chamar, “disco de classificação livre”. O título do CD é um apelido de infância e, segundo Adriana, seu pai continua a chamá-la. Esse é o sétimo álbum da carreira e um projeto audacioso iniciado em 1999. Por este magnífico trabalho Adriana recebeu os prêmios “Faz Diferença” do jornal O Globo, e na categoria “Melhor Disco Infantil”, o Prêmio Tim e recebeu um disco de ouro, por ter vendido mais de 100.000 cópias no Brasil.

O trabalho mais recente foi o CD Maré (2008), uma seleção de canções da nova MPB. Três músicas estiveram nas trilhas de novelas da Rede Globo: Mulher Sem Razão, em A Favorita;Três, em Ciranda de Pedra; e Um Dia Desses (com participação de Moreno Veloso), em Três Irmãs. Nesse mesmo ano, Adriana aventurou-se pela primeira vez no texto em prosa e lançou o livro Saga Lusa, no qual relata o "surto" que teve durante uma viagem à Lisboa.

Fonte :wikipédia

Citação

YouTube – Adriana Calcanhoto – Devolva-me
 

Anúncios

Amélinha

Posted in Cantores e Cantoras on maio 8, 2009 by regginnawzarling

 

Amélia Claudia Garcia Colares (Fortaleza, 21 de julho de 1950), mais conhecida como Amelinha, é cantora e compositora brasileira.

Foi casada com o cantor e compositor Zé Ramalho. No ano de 1980 ganhou o 2° prêmio do Festival da Rede Globo (MPB-80) com a música "Foi Deus que fez você". Consagrou-se em1982 cantando o tema "Mulher Nova, Bonita e Carinhosa Faz o Homem Gemer sem Sentir Dor". Nessa época já possuia diversas gravações e alguns discos produzidos por Zé Ramalho.

Iniciou a carreira na década de 70 ao lado de outros cantores cearenses como Fagner, Belchior e Ednardo, o grupo ficou conhecido no meio artístico como o pessoal do Ceará.

 

Discografia

  • 1977  Flor da paisagem
  • 1978  Frevo mulher
  • 1980  Porta secreta
  • 1982  Mulher nova, bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor
  • 1983  Romance da lua, lua
  • 1984  Água e luz
  • 1985  Caminho do sol
  • 1987  Amelinha
  • 1994  Só forró
  • 1998  Amelinha
  • 2001  Vento, forró e folia
  • 2002  Ednardo – Amelinha – Belchior – Pessoal do Ceará

 

Fonte: wikip

Adoniran Barbosa

Posted in Cantores e Cantoras on abril 8, 2009 by regginnawzarling

Adoniran Barbosa nasceu em 06 de agosto de 1910, em Valinhos, SP. foi um
colecionador nato de apelidos. Seu verdadeiro nome era João Rubinato – mas cada
situação por ele vivida o transformava num novo personagem numa nova
história.

Era filho de Ferdinando e Emma Rubinato, imigrantes italianos da localidade de Cavárzere, província de Veneza. Aos dez anos de idade, sua
certidão de nascimento foi adulterada para que o ano de nascimento constasse
como 1910 possibilitando que ele trabalhasse de forma
legalizada: à época a idade mínima para poder trabalhar era de doze anos.

Abandona a escola cedo, pois não gosta de estudar. Necessita trabalhar, para
ajudar a família numerosa – Adoniran tem sete irmãos. Procurando resolver seus
problemas financeiros, os Rubinato vivem mudando de cidade. Moram primeiro em
Valinhos, depois Jundiaí, Santo André e finalmente São Paulo.

Foi um grande colecionador de amigos, com seu jeito simples de fala rouca,
contador nato de histórias, conquistava o pessoal do bairro, dos freqüentadores
dos botecos onde se sentava para compor o que os cariocas reverenciaram como o
único verdadeiro samba de São Paulo. Mais do que sambista, Adoniran foi o cantor
da integridade.

Principais composições

  • Malvina, 1951
  • Saudosa maloca, 1951
  • Joga a chave, 1952
  • Samba do Arnesto, 1953
  • As mariposas, 1955
  • Iracema, Adoniran Barbosa, 1956
  • Apaga o fogo Mané, 1956
  • Bom-dia tristeza, 1958
  • Abrigo de vagabundo, 1959
  • No morro da Casa Verde, 1959
  • Prova de carinho, 1960
  • Tiro ao Álvaro, 1960
  • Luz da light, 1964
  • Trem das onze, 1964
  • Trem das Onze com Demônios da Garoa, 1964
  • Agüenta a mão, 1965
  • Samba italiano, 1965
  • Tocar na banda, 1965
  • Pafunça, 1965
  • O casamento do Moacir, 1967
  • Mulher, patrão e cachaça, 1968
  • Vila Esperança, 1968
  • Despejo na favela, 1969
  • Fica mais um pouco, amor, 1975
  • Acende o candeeiro, 1972