Mas afinal, o que é realmente Yôga?

Atualmente o termo yôga está bastante deturpado, não só em sua escrita, que não foi aceito como certo o uso do acento circunflexo por muitos,  creio que simplesmente por orgulho, ou pior ainda a grafia com i e acento agudo sobre a letra “o”. Mas pior ainda é o entendimento ou diria o desentendimento do termo por grande parte da população e o carnaval que fizeram desta filosofia. Basta colocar no youtube esta palavra mágica e você irá se deparar com várias catástrofes!

No Yôga Sútra de Pátañjáli encontramos a seguinte definição: Yôga chitta  vritti nirodhah ( Yôga é a supressão dos turbilhões da mente) Em linguagem mais simples, seria dizer que é a parada do pensamento!

Para ser Yôga é preciso conduzir ao samádhi, por tanto podemos usar aqui a definição proposta pelo Mestre DeRose e aceita em vários congressos internacionais de que Yôga é qualquer metodologia estritamente prática que conduza ao samádhi.

Lembrando que para atingir o samádhi, é preciso despertar Kundaliní, que nada mais é do que uma energia ígnea de polaridade negativa  e natureza feminina, que fica na base do períneo. Sua forma parece com a de uma serpente enroscada, na base da coluna vertebral. Seu despertamento é um processo natural e essa energia se bem canalizada, não é nenhum bicho papão!

O termo Yôga é masculino, por tanto, o Yôga. Para conferir, basta dar uma lida nestes livros: Aphorisms of Yôga de Sri Purôhit Swámi, Editora Faber &Faber, de Londres e Léxicos de Filosofia Hindu, de Kastberger, Editoria Kier, de Buenos Aires.

O verdadeiro Yôga de mais de 2000 a.C., não comporta misticismo, o que constitui uma deturpação que começou a ocorrer cerca de 20 séculos depois do surgimento do Yôga e atingiu seu apogeu no período medieval. O desenvolvimento dos chakras , o despertamento de Kundaliníl, são fenômenos perfeitamente naturais que podem ser atingidos por qualquer pessoa que tenha disciplina e força de vontade para tanto.

Tão pouco Yôga é terapia, embora produza efeitos expressivos sobre a saúde, o Yôga é classificado como filosofia e tais efeitos são apenas consequências da execução de técnicas corporais inteligentes, respirção correta, adminsitração do stress,  etc.

E por favor não venha com aquela famosa frase: Ela é calma por que faz Yôga… é “zen”! Não, o Yôga energiza, e você sim é que está sendo zen noção usando essa frase!

Existem 108 modalidades de Yôga e só no Brasil temos mais de 40 ramos. Alguns autênticos, contudo a maioria destes é tão deturpado que chega a ser nocivo.

Escolha o Yôga que mais se adapta ao seu estilo de vida e pratique somente este, não misture, dois ou mais tipos, pois são incompatíveis entre si e a prática de diferentes tipos ao mesmo tempo,acarreta em choque de egrégora e você estará apenas perdendo seu tempo e dinheiro além de poder sofrer graves consequencias advindas de sua teimosia e falta de responsabilidade.

Fonte: Tudo o Que Você Nunca Quis Saber Sobre Yôga- DeRose e  meus conhecimentos próprios de mais de 28 anos de prática.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: