Cuidado com o verbo Haver!!!

 
 
 
No blog do Mestre DeRose, ele postou a seguinte frase: eles havia participado, contudo para mim essa frase está errada, assim, busquei esclarecimentos e o melhor que encontrei é este, que esclarece por a + b que realmente estou certa!!!!

Rodrigo Bezerra

Português;

O professor Rodrigo Bezerra é bacharel em Letras, bacharel em Direito, professor da ESAF (Escola Superior de Administração Fazendária), professor do “Espaço

 

 

Se existe um verbo na Língua Portuguesa causador de problemas para muitos candidatos é o HAVER. O interessante é que, quando se fala no verbo HAVER, de imediato vem à cabeça a sua impessoalidade (o verbo HAVER fica, por convenção, na 3ª pessoa do singular) ao ser empregado no sentido de EXISTIR, ACONTECER, OCORRER, REALIZAR-SE ou no sentido de TEMPO TRANSCORRIDO.
Observe os exemplos abaixo:

 Haverá novos encontros dos especialistas em Direito de Família. – (Ocorrerão novos encontros…)
 Houve muitos aventureiros naquela cidade. – (Existiram muitos aventureiros…)
– Quando  tragédias, muitos setores da sociedade se mobilizam. – (Quando acontecem tragédias…)
 Havia dois anos que João não me dirigia a palavra. – (Tempo transcorrido)

Como se sabe, nas construções das letras “a, b e c”, o verbo HAVER não possui sujeito — os termos “novos encontros”, “muitos aventureiros” e “tragédias” são objetos diretos.

O mesmo acontece quando o verbo HAVER for empregado como o verbo principal de uma locução verbal. Nesse caso, a impessoalidade se transmitirá para o seu auxiliar, que, obrigatoriamente, ficará na 3ª pessoa do singular. Veja abaixo:

– Não pode haver honestos em terra de corruptos.
 Vai haver muitos inscritos para o Congresso de Direito de Família.
– Por ser noite, não deveria haver tantas crianças presentes no evento.
 

No entanto, quase não se faz menção aos outros empregos do verbo HAVER. Principalmente quando utilizado como verbo pessoal. Senão vejamos:

 

I) O verbo HAVER como auxiliar de verbos pessoais:

– Haviam sido negadas oportunidades de emprego àqueles trabalhadores.
– Hão de acontecer incidentes se não forem adotadas as medidas de segurança cabíveis.
– Haviam de ali residir mais de quinze pessoas.
 

– Observe que nesse caso, o verbo HAVER, como auxiliar, sofrerá todas as flexões inerentes ao verbo principal.

II) O verbo HAVER empregado no sentido de OBTER, CONSEGUIR. É um verbo transitivo direito e indireto.

– Os rapazes houveram da direção a autorização para o uso da quadra de esportes. (Leia-se: Os rapazes obtiveram / conseguiram da direção a autorização..)
– De quem houveram esses advogados aquelas terras? (Leia-se: Os advogados obtiveram / conseguiram aquelas terras de quem?)
 

– Observe que o verbo HAVER, no caso acima e nos demais casos abaixo, flexiona-se normalmente para concordar com o seu sujeito.

 

III) O verbo HAVER empregado no sentido de “CONSIDERAR, JULGAR”. É um verbo transitivo direto.

– A justiça não houve por verdadeira a confissão do réu. (Leia-se: A justiça não considerou…)
– Os professores haviam-no como o melhor da turma. (Leia-se: Os professores julgavam-no…)
 

IV) O verbo HAVER-SE (pronominal) no sentido de “PORTAR-SE, PROCEDER, COMPORTAR-SE, SAIR-SE BEM OU MAL”. É um verbo intransitivo.

– Os candidatos não se houveram bem na prova. (Leia-se: Os candidatos não se saíram bem…)
– A filha do prefeito sempre se havia de modo inconveniente nas festas de que participava. (Leia-se: A filha do prefeito sempre se comportava de modo inconveniente…)
 

V) O verbo HAVER no sentido de “TER, POSSUIR”. É um verbo transitivo direto.

 Hajamos paz e o mundo certamente melhorará. (Leia-se: Tenhamos paz e…)
– Se houvesses mais coragem, agirias de outra forma. (Leia-se: Se tivesses mais coragem…)
 

VI) O verbo HAVER-SE no sentido de “DEPARAR-SE, CONFRONTAR-SE”. É um verbo transitivo direto (pronominal) e indireto.

– À porta, eles sempre se haviam com um pedinte.
– Não nos assustemos, pois, quando sairmos, haver-nos-emos com uma multidão furiosa.
 

VII) O verbo HAVER-SE no sentido de “AJUSTAR CONTAS, ENTENDER-SE, ARRANJAR-SE”. É um verbo transitivo direto (pronominal) e indireto.

– Ele há de se haver comigo.
– Certamente os faltosos se haverão com o diretor geral.

 

 Saliente-se que os itens de II a VII se prestam a demonstrar o uso formal — e pouco usual — do verbo HAVER. Todavia não podemos deles nos esquecer. Os concursos já descobriram que os candidatos conhecem “de cor e salteado” o emprego do verbo HAVER em seu emprego impessoal (3ª pessoa do singular). Resta aos candidatos ficarem atentos aos demais usos desse que é um dos verbos mais complicados da nossa Língua Pátria.

 
 
 
Fonte:
 
 
 
 
 
 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: